REAPROVEITAMENTO DE PÓ DE MADEIRA: COMO PROCEDER?

Não é segredo que a preocupação com o meio ambiente e com os recursos tem crescido ao longo dos anos, e uma das técnicas de sustentabilidade utilizadas atualmente é o reaproveitamento de pó de madeira.

Leia o artigo até o final para saber mais as possibilidades do reaproveitamento de pó de madeira.

O que acontece no reaproveitamento de pó de madeira

O processo de transformação da madeira maciça gera um grande volume de resíduos e de pó de madeira.

Entretanto, estes resíduos podem ser reutilizados e aproveitados para dar origem a outros materiais, tanto combustíveis quanto decorativos.

Na primeira opção, os resíduos de pó de madeira são coletados e entregues para os fabricantes de pellets e briquetes, e ambos são voltados para a geração de energia.

Os pellets e os briquetes são combustíveis de biomassa, sendo uma fonte de energia limpa e de fácil manuseio.

Sendo assim, o pellet é um combustível limpo e eficiente, de alta capacidade de queima e acima de tudo, sustentável, muito utilizada em fornos a lenha, churrasqueiras e lareiras.

Já os briquetes são outra excelente opção de combustível limpo e sustentável, inclusive muito superior à lenha natural.

Uma grande vantagem de utilizar os briquetes é a concentração energética e capacidade de queima, assim como menor volume.

Dessa forma, os briquetes são muito utilizados em estabelecimentos comerciais, como por exemplo, pizzarias, padarias, cerâmicas, indústrias de gesso, cimento e até mesmo produtos químicos.

Por falar em reaproveitamento de pó de madeira, atualmente existem técnicas que possibilitam a produção de peças de decoração, como por exemplo, luminárias, bandejas e vasos.

Peças produzidas com o reaproveitamento de pó de madeira

A transformação e reaproveitamento de pó de madeira pode dar origem a peças decorativas, entretanto a tecnologia está em desenvolvimento pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Imagem de uma linha de bowl, luminária e porta-copo: mistura do resíduo de madeira com aglutinante Alessandro Policarpo
Fonte: https://ufmg.br/comunicacao/noticias/material-baseado-em-madeira-granulada-para-fabricacao-de-objetos-e-criado-na-ufmg

A iniciativa está em desenvolvimento com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que irá patentear e licenciar os produtos.

De modo geral, o processo de reaproveitamento de pó de madeira utiliza a serragem da madeira maciça em uma mistura aglutinante, que quando submetidas à temperatura e pressão, dá origem às peças.

Para formar as peças, a mistura é colocada em um molde, depois é prensada e exposta à pressão e calor por um determinado tempo até alcançar a textura e a cor desejada.

Contudo, a UFMG ainda está avaliando aspectos como a durabilidade da peça, tal como a resistência ao atrito e à água.

Assim, os testes estão em busca de materiais que deem um acabamento mais bonito e ao mesmo tempo resistente.

Atualmente, já foram produzidos utensílios de cozinha como porta-copos e vasilhas. Os próximos testes serão voltados para o desenvolvimento de painéis decorativos, bandejas, cachepôs e luminárias.

Reaproveitamento de pó de madeira e descarte

Sendo assim, a ideia do reaproveitamento de pó de madeira surgiu como uma alternativa para diminuir o descarte incorretos destes resíduos, que são produzidos em grande volume.

Assim, uma aluna da escola de Arquitetura da UFMG observou a demanda e a produção das indústrias moveleiras e madeireiras, que produzem cerca de 300 toneladas de pó de madeira por mês.

Anteriormente, os resíduos eram descartados em aterros sanitários, ou ainda, eram doados para granjas e padarias.

Contudo, como meio de tornar a prática mais sustentável e eliminar os riscos à saúde, surge o reaproveitamento de pó de madeira.

Conclusão

Nesse sentido, o reaproveitamento de madeira é uma alternativa sustentável para aproveitar e utilizar os resíduos sólidos de madeira de modo efetivo.

Embora atualmente o reaproveitamento de pó de madeira seja voltado para a produção de combustíveis biodegradáveis, existem outras possibilidades que podem revolucionar o mercado decorativo de modo sustentável.  

COMPARTILHE

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Acesse nossas Políticas de Privacidade.